ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



FCecon desenvolve programação de Dia dos Pais com a participação de profissionais e voluntários

12/08/2016 14:19:58

A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (Susam), realizou, nesta sexta-feira, 12, uma série de atividades lúdicas e musicais, em comemoração ao Dia dos Pais, celebrado no próximo domingo, 14. Na ocasião, a instituição lançou, através da sua Comissão de Humanização, o projeto “Música no Ambulatório”, que contou com a participação do violinista da Orquestra Filarmônica do Amazonas, voluntário Fernando Lima. As canções, apresentadas na área ambulatorial e no Serviço de Quimioterapia, durante a administração de medicamentos, emocionaram a todos e promoveram a confraternização entre pacientes e funcionários durante toda a manhã. Segundo o diretor-presidente da FCecon, cirurgião oncológico Marco Antônio Ricci, as ações que promovem a interação entre voluntários, pacientes e profissionais da unidade, reforçam o vínculo entre ambos e deixam o ambiente hospitalar mais leve. “Já está cientificamente comprovado que ações como esta, que proporcionam momentos de lazer aos pacientes, contribuem com o tratamento e promovem o bem-estar do usuário do sistema de saúde. Geralmente, o paciente oncológico fica bastante fragilizado em função da doença. Participando das atividades e eventos, ele tem a chance de sair do ócio”, ressaltou. Estiveram envolvidos na programação os serviços de Psicologia, Quimioterapia, Enfermagem, Ensino e Pesquisa, Banco de Sangue, Departamento de Prevenção e Controle do Câncer (Dpcc), e ONGs de apoio à causa câncer que atuam no âmbito da FCecon. Entre eles, estiveram presentes a Rede Feminina de Combate ao Câncer, Liga Amazonense Contra o Câncer (Lacc), Grupo de Animação Hospitalar Rei David e Grupo de Apoio às Mulheres Mastectomizadas da Amazônia (Gamma). Apresentação acústica - O violinista Fernando Lima, apresentou seu repertório durante uma hora e meia no ambulatório, para cerca de 200 pessoas que aguardavam por consultas e procedimentos. Em seguida, o artista visitou pacientes em tratamento quimioterápico no hospital, que puderam apreciar o artista em uma apresentação acústica, contando a interação e participação de funcionários do serviço. Paralelo a isto, a Lacc e a Rede Feminina de Combate ao Câncer levaram os personagens do Grupo Rei David ao setor e às enfermarias, para realizar atividades junto aos pacientes acamados. Eles estiveram em contato direto com os enfermos e distribuíram brindes, lanches e kits de higiene. Os pais em tratamento na instituição também foram homenageados. O Gamma, por sua vez, participou da programação ambulatorial, com atividades desenvolvidas por voluntárias e a distribuição de lanches. Alegria - Para a dona de casa Rosário Picanço Ferreira, 56, paciente da unidade hospitalar, ações como esta deveriam acontecer com mais frequência, pois a música “ajuda o tempo a passar e distrai na hora da espera por atendimento. O maestro é um excelente profissional. Amei ouvi-lo enquanto aguardava”. Lucídia da Silva Rocha, 53, funcionária pública e paciente da Fundação, destacou que a “iniciativa leva alegria a quem está debilitado em suas emoções. Acho que tem que haver música todos os dias, em todos os setores do hospital”. A técnica de serviços gerais, Iricilda Lucas da Silva, 52, compartilha da mesma opinião. Segundo ela, a música, em especial a gospel, reforça a esperança de cura dos pacientes com câncer. “Às vezes, eles estão desacreditados da vida por conta do tratamento e a música renova a alma”, opinou. Humanização - A Comissão de Humanização, criada em 2015 e oficializada este ano na FCecon, desenvolve uma lista de projetos coletivos que visam a melhoria no atendimento ao usuário do SUS e a otimização dos serviços da unidade hospitalar, considerada referência no diagnóstico e tratamento do câncer na Amazônia Ocidental. No mês passado, o projeto “Musicoterapia” foi lançado no hospital, com o objetivo de promover, quinzenalmente, apresentações de artistas diversos nas enfermarias da unidade. Participam diretamente da iniciativa os serviços de Psicologia e Enfermagem. Além disso, o projeto “Pedagogia Hospitalar”, desenvolvidos por acadêmicos da Faculdade Estácio, levam conhecimento e entretenimento a crianças e adolescentes em tratamento contra o câncer no setor de Pediatria da FCecon. Segundo a diretora de Ensino e Pesquisa da Fundação, Kátia Luz Torres, a ideia é ampliar ainda mais essas ações, de modo a abranger todos os serviços da fundação. “Trabalhamos, com o auxílio das voluntárias do Coletivo de Humanização no Amazonas, o desenvolvimento de uma série das ações e projetos que estão sendo colocados em prática aos poucos, contando com o envolvimento de todos os serviços do hospital. A Política Nacional de Humanização (PNH) tem atraído a atenção de todos na FCecon, tornando-se uma prioridade na área da saúde. Estamos apenas começando”, concluiu.