ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



Secretários de Saúde discutem o impacto, no SUS, da violência no trânsito

23/08/2016 15:51:49

O secretário de estado de Saúde, Pedro Elias de Souza, participa nesta quarta-feira (24), em Brasília, da 8ª Assembleia do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). A preocupação dos gestores com o alto índice de violência no trânsito colocou o tema em destaque na pauta do evento. De acordo com o secretário, a discussão será em torno das ações a serem executadas, no país, para a redução dos índices de violência no trânsito. No Brasil, cerca de 45 mil pessoas perdem a vida em acidentes de trânsito, anualmente. Essa é a terceira maior causa de óbito no país. Dados da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) mostram que são realizadas por mês, no Amazonas, cerca de 400 cirurgias ortopédicas, a grande maioria em decorrência de acidentes de trânsito. Os custos relacionados aos atendimentos às vítimas de acidentes de trânsito, no Amazonas, já alcançam R$ 400 milhões, por ano. “Estamos falando de gastos com remoção de pacientes graves do interior, em UTIs aéreas, cirurgias, internações, internação em UTI, implantação de próteses e reabilitação, entre outros custos”, enumerou Pedro Elias. O secretário ressalta que esses números são bastante preocupantes e representam, principalmente, o sofrimento de milhares de famílias que perdem seus parentes, na maioria das vezes ainda jovens e em idade produtiva. Pedro Elias destaca que a violência no trânsito é um problema que gera custos que chegam a representar 3% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial. Ele frisa que já houve períodos em que 55% da ocupação dos leitos de UTI do Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, principal referência para o atendimento de trauma, foram ocupados por vítimas de acidente de trânsito. Plano Diretor Hospitalar - Outro assunto em destaque na agenda da Assembleia do Conass é o Plano Diretor Hospitalar dos estados, estudo importante para o planejamento das ações do setor, para os próximos anos. Amazonas, Espírito Santo e Pará já estão em fase de elaboração do documento. O objetivo, de acordo com o secretário, é preparar a estrutura da rede para atender as novas demandas que irão surgir.