ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



Número de casos de crianças infectadas pelo HIV por meio da transmissão vertical, reduz em 50%

02/12/2016 17:41:16

O número de casos de crianças menores de cinco anos infectadas pelo HIV através da transmissão vertical, ou seja, da mãe para o bebê, reduziu em 50%, em 2016, conforme dados da unidade que é referência nesse tipo de atendimento no estado – a Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), que é vinculada à Secretaria Estadual de Saúde (Susam). No ano passado, 14 crianças que adquiriram o vírus HIV por transmissão da mãe foram atendidas na FMT. Neste ano, até o mês de novembro, foram identificados sete novos casos. Os dados foram apresentados na quinta-feira (1º), Dia Mundial de Luta Contra AIDS, no “1º Seminário Estadual sobre Prevenção da Transmissão Vertical do HIV”, realizado no auditório da FMT. Durante o evento, organizado pela Coordenação Estadual de DST/AIDS e Hepatites Virais, as maternidades Alvorada e Chapot Prevost, da Susam, e Moura Tapajóz, da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), receberam uma premiação por terem conseguido eliminar, em 2015, os casos de transmissão vertical do HIV. O Seminário fez parte da programação da campanha pelo Dia Mundial de Luta Contra AIDS, que este ano tem como tema “Eu me importo. E você?”. No Amazonas, as ações ocorrem em todos os 62 municípios, onde as Secretarias Municipais de Saúde estão intensificando o trabalho de prevenção, com a oferta de testes rápidos, palestras, distribuição de preservativos masculinos e folders informativos. Preconceito - Segundo a coordenadora estadual de DST/AIDS, Silvana Lima, todas as ações realizadas nesse período visam diminuir o preconceito, a discriminação e promover o respeito e a garantia do direito à saúde, de todas as pessoas vivendo e convivendo com HIV/Aids. Conforme o diretor de Ensino e Pesquisa da FMT-HVD, Marcus Lacerda, toda a sociedade, gestores e profissionais da saúde devem se empenhar cada vez mais para que os números de HIV no Estado e também de transmissão vertical sejam reduzidos. “Diferente do que aconteceu no início da epidemia de Aids no país, hoje, temos como prevenir a doença, então, se todos se envolverem e se comprometerem, é possível reduzir o número de casos”. De acordo com a diretora da Casa Vhida e médica infectologista da FMT-HVD, Solange Dourado, com a aplicação correta dos protocolos de saúde é possível reduzir em mais de 70% as chances de transmissão do vírus da mãe para o bebê. Ela apresentou durante o seminário a palestra “A epidemiologia da Transmissão Vertical do HIV no Estado do Amazonas e Iniciativas de como conter a transmissão”. A médica diz que até 2014 o Amazonas estava com uma taxa de transmissão vertical estagnada em 6,5%, registrando cerca de 20 novos casos por ano. “Como a meta é sempre reduzir o número de casos a FMT em parceria com a Coordenação Estadual de DST-Aids começou a fortalecer um trabalho junto às maternidades, criando uma rede de acompanhamento e atendimento. Dessa forma foi possível chegar em 2016 com somente sete novos casos e com expectativa de reduzir ainda mais nos próximos anos”, disse. Solange Dourado explica que algumas medidas são primordiais para evitar a transmissão. Entre elas, medicar a grávida durante a gestação e no momento do parto, e o bebê após o nascimento. Além disso, adotar as condutas médicas recomendadas no momento do parto. “A transmissão vertical acontece na gestação, durante o parto ou através da amamentação. O maior risco, porém, é durante o parto, por isso a necessidade de reforçar os cuidados e orientações para os profissionais da área da saúde”, destacou. Solange Dourado ressalta que ainda é preciso avançar, mas essa redução do número de casos de crianças infectadas é bastante significativa. “Precisamos melhorar ainda mais o pré-natal, ofertar o teste de HIV no primeiro e no terceiro trimestre da gestação e diagnosticar precocemente os infectados”, frisou. Programação – Nesta sexta-feira (2), a FMT-HVD realizou das 8h às 15h, uma blitz de prevenção, com panfletagem em frente à unidade e oferta de testes rápidos. A Associação das Prostitutas do Amazonas (APAM) realizou das 9h às 17h um Encontro de Profissionais do Sexo, no Café Teatro, na avenida Sete de Setembro. No mesmo dia, a Associação Katiró distribui preservativos e folders na Policlínica Cardoso Fontes. Sábado (3), a Soceama realiza um Seminário de prevenção às IST/HIV/Aids e Hepatites Virais, no horário das 8h às 14h, na Escola Professor Samuel Benchimol, no São José. No dia 7 de dezembro, o Movimento das Cidadãs Posithivas distribui preservativos e folders, das 16h às 20h, no Conjunto Viver Melhor, bairro Santa Etelvina. A Associação de Redução de Danos (Ardam) também realizará ação preventiva no conjunto, no dia 09. No dia 20, a Associação Orquídea LGBT estará na Igreja São Pedro, no bairro Nova Cidade, fazendo ação preventiva.