ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



Susam amplia rede de atenção oncológica no estado do Amazonas

05/01/2017 10:19:03

O estado do Amazonas ganhou seis novos Serviços de Referência para o Diagnóstico e Tratamento de Lesões Precursoras do Câncer (SRC) e um Complexo Hospitalar em Oncologia. As unidades foram habilitadas pelo Ministério da Saúde, em portarias publicadas nos dias 29 e 30 de dezembro de 2016, e passarão a integrar a rede estadual de atenção oncológica, ampliando a oferta de exames e serviços para os pacientes com suspeita ou em tratamento contra o câncer. O Complexo Hospitalar em Oncologia é formado pelo Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), onde serão realizadas as cirurgias gerais para tratamento de câncer, o Instituto de Mama do Amazonas, que funcionará na Clínica Sensumed, onde serão ofertados os serviços de radioterapia e a Fundação Centro de Controle de Oncologia (FCecon), que será a unidade de assistência de alta complexidade em oncologia. O secretário de estado de saúde, Pedro Elias de Souza, explica que a criação do complexo hospitalar irá descentralizar o tratamento de câncer que atualmente está concentrado na Fundação Cecon e ampliar a oferta anual de tratamento contra o câncer. “Com as novas unidades nós iremos ofertar 650 novos procedimentos de cirurgia de câncer, 5.300 novos procedimentos de quimioterapia e 43.000 novos campos de radioterapia”, destaca o secretário. Câncer de Colo de Útero Também foram habilitados seis novos Serviços de Referência para o Diagnóstico e Tratamento de Lesões Precursoras do Câncer (SRC), que funcionar no Ambulatório Araújo Lima, unidade anexa ao Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), e nas Policlínicas Codajás, Gilberto Mestrinho, João dos Santos Braga, da rede estadual de saúde, Comte Telles e Castelo Branco, da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Pedro Elias explica que com as novas habilitações será possível multiplicar a ofertar anual de vários exames. “Serão mais 4.800 colposcopias, 600 biópsias do colo uterino, 480 exéreses da zona de transformação do colo uterino, 1.500 ultrassonografias pélvica (ginecológica) e 9.000 ultrassonografias transvaginal”, destaca. O secretário explica que o fluxo de atendimento nos SRC será organizado de forma que a mulher fará a primeira consulta na Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua residência e se houver necessidade será encaminhada para o atendimento especializado no SRC. As consultas e exames serão marcados através do Sistema de Regulação do Amazonas (Sisreg). “Com esses novos serviços em funcionamento nós teremos condições de tratar as lesões precursoras de câncer de colo de útero e principalmente de evitar que se transformem em câncer, salvando a vida dessas mulheres”, explica Pedro Elias. Interior O secretário também informa que já estão em avaliação no Ministério da Saúde os processos para habilitação de seis Serviços de Referência para o Diagnóstico e Tratamento de Lesões Precursoras do Câncer (SRC) no interior do estado. Os novos serviços deverão ser implantados nos municípios de Borba, Manacapuru, Parintins, Itacoatiara, Tefé e Tabatinga. “É prioridade do Governo do Estado do Amazonas garantir esse tipo de serviço também para a população do interior do estado e nós estamos trabalhando junto ao Ministério da Saúde para que em breve esses serviços possam entrar em funcionamento e prestar assistência também às mulheres do interior”. Também encontra-se em avaliação no Ministério da Saúde a habilitação do Hospital Santa Júlia, em Manaus, como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia.