ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



Platão Araújo ultrapassa a marca de mil cirurgias ortopédicas em crianças; acidente doméstico respon

03/03/2017 11:16:30

Os acidentes domésticos são responsáveis por 49% dos casos encaminhados ao serviço de cirurgias ortopédicas pediátricas do Hospital e Pronto-Socorro Platão Araújo, na zona Leste. Referência nesse tipo de atendimento, a unidade ultrapassou a marca de mil cirurgias em crianças desde sua implantação em 2014. Segundo o coordenador de ortopedia e traumatologia pediátrica do hospital, Paulo Su, apesar de se imaginar que o trânsito seja o maior responsável pelas vítimas de traumas, as estatísticas na ortopedia pediátrica apontam para outra direção. “O campeão é o acidente em casa. Queda de árvore, escada, cama, sofá, muro. Há pouco tempo achávamos que as vítimas eram mais de acidente de trânsito. Mas não é”, comenta o médico. A unidade de saúde passou a dedicar uma infraestrutura exclusiva para o atendimento de crianças a partir de novembro de 2014. Em 2016, foram realizados 523 atendimentos e 480 procedimentos cirúrgicos. Segundo Paulo Su, com esse serviço exclusivo, o hospital passou a ser referência na rede, o que permitiu diminuir a fila de cirurgias ortopédicas eletivas para correção de fraturas em crianças. “Nós fomos o primeiro hospital da rede pública de saúde a ofertar um serviço dedicado a cirurgias pediátricas. Foi um projeto desafiador, por causa da alta demanda”, lembra o médico. Paulo Su ressalta que o hospital atua por meio de cirurgias eletivas, ou seja, em um fluxo de agendamento de casos encaminhados para a unidade hospitalar. Quando o acidente ocorre, os pais ou responsáveis pelas crianças devem levá-las a um pronto-socorro infantil. Esse é o primeiro passo. No pronto-socorro infantil, a equipe está preparada para fazer os atendimentos emergenciais, inclusive cirurgias. Após essa etapa, e havendo a necessidade de novos procedimentos que não tenham mais o caráter emergencial, é que o paciente é encaminhado ao Platão Araújo. Antes de ser internada para a cirurgia no Platão Araújo, a criança passa por um atendimento ambulatorial na policlínica Zeno Lanzini, também na zona Leste. A policlínica é responsável ainda pelo atendimento pós-operatório dos pacientes. Antes do serviço infantil no Platão Araújo, toda a demanda concentrava-se na Fundação Hospital Adriano Jorge. Em 2012, a fila de espera por consultas e cirurgias chegava a 300 crianças. Atualmente, a fila está praticamente zerada, afirma Paulo Su. “Estamos com uma média de 7 a 15 dias entre a data do encaminhamento e a realização da cirurgia”, conta o médico. Perfil Acidentes domésticos são responsáveis por 49% dos casos; 25% das crianças sofreram fraturas em decorrência de acidentes de trânsito e 26% foram vítimas de acidentes em ambiente escolar. Em relação ao perfil das crianças atendidas, 45% têm idade acima dos 10 anos; 44% de 5 a 9 anos; e 11% de 1 a 4 anos. Em 72% dos casos, a vítima é do sexo masculino.