ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



João Lúcio realiza cirurgias neurológicas para correção de aneurisma e retirada de tumor

08/03/2017 11:49:17

O Pronto-socorro João Lúcio Pereira Machado, localizado na zona Leste de Manaus, deu início nesta terça-feira (07) a um cronograma de realização de cirurgias neurológicas para correção de aneurismas e de retiradas de tumores em pacientes que estão internados na unidade e possuem indicação de tratamento cirúrgico. Os procedimentos serão realizados pela equipe de neurocirurgiões do próprio pronto-socorro e dentro das próximas seis semanas serão operados 17 pacientes. “Estão programadas três cirurgias por semana, pois são cirurgias delicadas, longas e a decisão técnica é de fazer um paciente por dia”, explica o diretor do João Lúcio, Edson Ramos. A realização das cirurgias neurológicas no Pronto-socorro João Lúcio será possível porque a unidade colocou em funcionamento um microscópio eletrônico de alta tecnologia, que permite a visualização dos coágulos e a inserção no local exato onde deve ser feita a intervenção cirúrgica. Do total de pacientes que realizarão o procedimento cirúrgico, 11 tem diagnóstico de aneurisma. O aneurisma é uma dilatação localizada na parede de um vaso sanguíneo, que pode levar à morte do paciente. O procedimento, chamado de clipagem de aneurisma, impede a ruptura do vaso sanguíneo. Segundo Edson Ramos, a clipagem de aneurisma consiste na colocação de uma peça metálica (clip), para evitar o sangramento cerebral e a ruptura do vaso sanguíneo. Outros quatro pacientes tem diagnóstico de tumor cerebral e dois farão cirurgias para correção de má formação venosa. Do total de pacientes, 10 são do sexo masculino e sete do feminino. A faixa etária dos pacientes é de 40 a 70 anos. O pronto-socorro João Lúcio recebe em média 10 a 15 pacientes por mês, com diagnóstico de aneurisma. Para que a equipe médica pudesse definir o tipo de procedimento mais adequado para cada caso, os pacientes realizaram exames de angiografias e a partir do resultado desses exames os médicos decidiram pela cirurgia e estabeleceram o cronograma de realização das cirurgias. No início dessa semana, a direção da unidade e a equipe médica reuniram com os familiares dos pacientes que estão agendados para fazer os procedimentos cirúrgicos, e explicaram o tipo de procedimento que será realizado, os riscos da cirurgia e a ordem em que os pacientes serão operados, informando ainda que o cronograma pode ser alterado, caso algum paciente não apresente as condições clínicas adequadas para realização da cirurgia. “Nós fizemos questão de dar essas informações e explicar que a cirurgia depende do quadro clínico do paciente, pois eles tendem a pensar que a ordem deve seguir as datas em que eles foram admitidos na unidade. Nós explicamos, eles entenderam e nós nos colocamos à disposição para tirar qualquer dúvida que possa ter persistido”, explica o diretor. Edson Ramos lembra que até hoje, na rede pública, esse tipo de cirurgia era realizada somente no Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), e que a realização das cirurgias no João Lúcio irá permitir maior rotatividade dos leitos e maior resolutividade aos serviços ofertados na unidade. O primeiro procedimento de clipagem de aneurisma no João Lúcio foi realizado em setembro do ano passado, em uma paciente de 49 anos, diagnosticada com aneurisma na artéria cerebral média direita. Ela deu entrada na unidade com forte dor de cabeça. O procedimento, que durou cerca de cinco horas, foi considerado um sucesso pela equipe médica. Dados do Ministério da Saúde indicam que cerca de 6,5 mil pessoas morrem anualmente no Brasil por aneurisma. O aneurisma é caracterizado por um enfraquecimento da parede arterial ou de uma sobrecarga dela. O quadro clínico típico é dor de cabeça súbita e muito forte. Isso ocorre porque a dilatação progressiva do aneurisma vai deixando a parede arterial cada vez mais fina, até que ela não resiste e se rompe, causando hemorragia severa, que pode levar à morte.