ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



Francisca Mendes desenvolve programa de saúde bucal para pacientes cardíacos

03/10/2017 14:40:44

A saúde bucal está diretamente relacionada com o bom funcionamento do coração. Uma infecção dentária, uma cárie, pode se tornar porta de entrada para bactérias que causam infecção cardíaca e podem levar ao óbito. O Hospital Universitário Francisca Mendes, referência na área de cardiologia na rede pública de saúde do Amazonas, desenvolve um programa específico na área de odontologia para os pacientes portadores de doenças cardíaca, tanto adultos quanto crianças.


A unidade possui odontóloga especialista no atendimento aos pacientes portadores de doença cardíaca e cumpre um protocolo interno de atenção integral ao paciente, incluindo o tratamento dentário como parte do tratamento cardíaco.


O protocolo estabelece que todos os pacientes que iniciam o tratamento no Francisca Mendes deverão ter uma consulta agendada com a odontóloga. A profissional faz a avaliação do quadro de saúde bucal do paciente e trata as doenças encontradas. “Eu faço um check up na boca do paciente e tudo que encontrar será imediatamente tratado, principalmente as cáries e cálculos dentários (tártaros) que se não tratadas se tornam foco de infecção e podem causar complicações nos período pós-operatório”, destaca a odontóloga Priscila Lacerda, responsável pelo serviço.


Ela informa que o protocolo também estabelece que todos os pacientes que serão submetidos a procedimento cirúrgico só terão sua cirurgia agendada depois de passar pela avaliação da odontologia e os que têm algum problema diagnosticado precisarão fazer o tratamento antes da cirurgia. “Esse procedimento irá anular as portas de entrada de infecção presentes na boca do paciente”.


Priscila explica que as cáries profundas alcançam a polpa do dente, causam inflamação, tornando-se portas de acesso para a entrada de vírus e bactérias, que podem causar doenças cardíacas, como a endocardite.


No caso das crianças portadoras de doenças cardíacas, Priscila explica que é preciso ter um cuidado redobrado na hora do atendimento. “Essas crianças não podem ser submetidas a situações que provoquem quadros de choro intenso, uma vez que isso provoca a aceleração do coração e isso pode ser ruim para o quadro geral dela”.


Para esses casos a odontóloga conta com o suporte da equipe de cardiologistas, que avaliam o paciente e indicam que o mesmo precisa de suporte avançado no atendimento odontológico. “Geralmente nesses casos, o paciente é levado ao centro cirúrgico, onde é sedado para poder passar pelo procedimento de restauração dos dentes ou mesmo extração. Nós temos os equipamentos portáteis, que nos permitem realizar os procedimentos no ambiente do centro cirúrgico”, relata.


Além do tratamento, a dentista também orienta os pacientes sobre os cuidados diários que os mesmos devem ter para manter a saúde bucal. “Em todos os atendimentos eu oriento o paciente sobre a higiene, a importância de usar o fio dental, de fazer os movimentos certos de escovação dos dentes, alertando que essa é a forma mais segura de manter a saúde dos dentes e consequentemente do coração”.   


O executivo de vendas Andreson Teixeira, que está internado no Francisca Mendes em recuperação pós-cirúrgica, adquiriu uma endocardite através de infecção na boca. Ele relata que apresentou problemas nos dentes siso e precisou extrair. O procedimento de extração foi realizado e ele cumpriu todas as recomendações de tomar medicação e repouso, mas apesar disso foi infectado por uma bactéria, que se alojou no coração e danificou a válvula mitral. “Eu comecei a sentir muitas dores, febre alta, calafrios, fiz vários exames até que conseguiram diagnosticar a inflamação no coração”, relata.


Os danos causados pela bactéria foram tão graves que danificaram totalmente a válvula mitral e Andreson precisou ser submetido a procedimento cirúrgico para a troca da válvula original por uma mecânica. A cirurgia foi feita há 15 dias, o paciente se recupera bem e tem previsão de alta para a próxima semana. “Eu decidi que vou contar minha história para todas as pessoas que se aproximarem de mim, pois muita gente desconhece essa relação que existe entre as infecções na boca e os problemas do coração”, diz Andreson.