ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



SUSAM executa plano de ação para reduzir espera por cirurgias ortopédicas

25/01/2018 17:25:10

A nova gestão da Secretaria de Estado de Saúde (SUSAM) deu início a um plano de ação para reduzir as filas e o tempo de espera por cirurgias ortopédicas nas unidades da rede estadual de saúde. Entre as medidas está a aquisição de material próprio para este tipo de cirurgia, as chamadas OPMEs (Órtese, Próteses e Materiais Especiais).


De acordo com o secretário estadual de Saúde, Francisco Deodato, já foi feita uma compra para atender quem está aguardando nos hospitais e está em processo de licitação uma nova remessa para abastecer as unidades por um ano. “Estamos comprando material em quantidade suficiente para o ano todo, evitando a formação de nova fila”, disse o secretário, ao relatar que o material vai para os prontos-socorros 28 de Agosto, na zona centro-sul; João Lucio Machado e Platão Araújo, na zona Leste; além do Hospital Adriano Jorge, na zona sul. O objetivo, segundo ele, é que em seis meses, não haja mais filas de espera e o tempo de realização das cirurgias seja mínimo.


Para isso, a SUSAM também está mudando a forma de contratação do serviço de cirurgias ortopédicas. Ao invés de plantão, os contratos agora estão sendo feitos por quantidade de procedimentos realizados e os valores pagos por cada cirurgia definidos conforme o seu grau de complexidade.


Contratos De acordo com a Secretária Executiva Adjunta de Atenção Especializada da Capital, Denise Machado, nos contratos herdados pela nova gestão, o valor pago pela realização de uma cirurgia simples é igual ao de uma cirurgia complexa.

 

“As cooperativas irão receber por produção e não por plantão. Por produção, haverá classificação da complexidade do procedimento, de baixa, média e alta complexidade. Isso vai fazer com que a fila de alta complexidade ande”, explica Denise.


Também faz parte do plano de ação da secretaria a transformação do Instituto de Saúde da Criança do Amazonas (Icam) em referência no tratamento do Pé Torto Congênito. O projeto inicia tão logo conclua o treinamento dos profissionais do Icam, que está em curso. Os pacientes prioritários serão crianças nascidas nas maternidades públicas.

 

Conscientização Paralelo a todas estas ações, a SUSAM planeja fazer um trabalho de conscientização usando as redes sociais e as mídias em geral com foco nos motociclistas. Dados de atendimentos na rede de urgência e emergência mostram que, das vítimas de acidentes de trânsito atendidos nos prontos-socorros e Serviços de Pronto Atendimento (SPAs), 66,1% envolvem motocicletas.


“Qualquer ação que venha a se fazer para corrigir os traumas causados por acidentes de motocicletas, de nada adiantará se não for feita uma campanha para reverter esse quadro crítico, onde a maioria das pessoas atendidas nos nossos hospitais por acidentes de trânsito foi vítima de acidente com motocicleta”, observa o secretário Francisco Deodato.


Em 2017, as unidades da rede estadual, em Manaus, atenderam 18.695 vítimas de acidentes de trânsito. Deste total, 12.371 foram de acidentes com moto.


O Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, na zona Leste, por exemplo, registrou no ano passado 3.626 atendimentos de pacientes envolvidos em acidentes de trânsito – 74,84% dos casos (2.714) eram de ocorrências envolvendo motos.


Entre as unidades de média complexidade, a que registrou o maior número proporcional de atendimentos de acidentados por moto foi o SPA Antônio Aleixo, na zona Leste. Dos 749 pacientes de acidentes de trânsito atendidos em 2017, 688, ou seja, 91,86%, eram vítimas de acidente de moto.


Já o 28 de Agosto, na zona Centro-Sul de Manaus, foi o que mais atendeu pacientes vítimas desse tipo de acidente. Foram 3.863 casos em 2017. O número representou 74,85% de todos os atendimentos de acidentes de trânsito realizados na unidade naquele ano – 5.161.

 

Também em 2017, o Hospital e Pronto-Socorro Platão Araújo, na zona Leste, atendeu a 2.635 acidentados de moto. O número representou 47,96% de todos os atendimentos relacionados a acidentes de trânsito na unidade (5.494).

 

Mortes De acordo com dados do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), em 2017, foram registradas, em Manaus, 107 mortes de pessoas envolvidas em acidentes com motos. E mais 32 no interior. Ainda segundo o Detran-AM, em 2017, a frota de motos no Estado era de 306,7 mil, sendo 186.414 em Manaus e 120.319 no interior. Nos dois últimos anos, a média de motocicletas emplacadas no Amazonas foi de 14,3 mil.