ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



Ação alusiva ao Dia Mundial do Câncer abrange quatro mil pessoas no Centro de Manaus

05/02/2018 11:55:35

A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (Susam), realizou, na manhã desta sexta-feira, 2, no Mercado Municipal Adolpho Lisboa, no Centro de Manaus, uma ação alusiva ao Dia Mundial do Câncer, comemorado no próximo domingo, dia 4, em diversos países. A data foi criada em 2005, pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC), com o objetivo de chamar a atenção para a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença. Em Manaus, cerca de quatro mil pessoas foram contempladas com a atividade de cunho educativo.
De acordo com a diretora-presidente da FCecon, engenheira biomédica Ana Paula Lemes, a abordagem faz parte de um amplo cronograma de ações a ser desenvolvido neste ano, para envolver e conscientizar a população sobre a importância da prevenção. “O principal objetivo é fortalecer a Política de Prevenção e Controle da doença, ajudando, assim, na redução da mortalidade por câncer no Estado”, destacou.
Além da distribuição de material informativo, contendo dados sobre a incidência dos principais tipos de câncer no Amazonas, a equipe do Departamento de Prevenção e Controle do Câncer (DPCC-FCecon) também pôde tirar as dúvidas dos usuários e permissionários que atuam no Mercadão, um dos principais pontos turísticos da cidade.
A assistente social e membro do DPCC, Alekssandra Oliveira, explicou que o Mercadão foi escolhido para o desenvolvimento da atividade, porque o local recebe um grande fluxo de visitantes no horário da manhã, privilegiando ações ‘corpo a corpo’. “Nas ações de cunho educativo, procuramos trabalhar, principalmente, a importância dos exames preventivos, como a mamografia e o Papanicolau, para as mulheres; e o PSA (Antígeno Prostático Específico) e o exame de toque retal para os homens, levando em consideração as idades preconizadas pelo Ministério da Saúde (MS) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS)”, destacou.
Para a vendedora Jussara da Silva Ribeiro, 41, que trabalha desde o ano passado no Mercado Adolpho Lisboa, ações informativas voltadas à saúde, são de extrema importância. “Trabalhamos aqui o dia inteiro e não temos muito acesso à informação. A gente acaba se preocupando muito com o trabalho e deixando a saúde de lado. Por isso, acho que quando mais as pessoas se informam, mais elas se conscientizam de que precisam buscar ajuda e se prevenir”, comentou.
 
Projeção e pesquisa
Estimativa 2018 – Incidência de Câncer no Brasil, divulgada nesta sexta-feira, pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca), órgão subordinado ao Ministério da Saúde (MS), aponta que o Brasil deverá registrar, só neste ano, cerca de 600 mil novos casos de câncer. Com exceção do câncer de pele não-melanoma, os tipos de câncer mais frequentes serão os cânceres de próstata (68.220 casos novos) em homens e mama (59.700 mil) em mulheres. Além dos citados, completam a lista dos dez tipos de câncer mais incidentes: cólon e reto (intestino – 36.360), pulmão (31.270), estômago (21.290), colo do útero (16.370), cavidade oral (14.700), sistema nervoso central (11.320), leucemias (10.800) e esôfago (10.970). Na região Norte, a maior incidência continua sendo das neoplasias malignas de colo uterino.
No Amazonas, em especial, o Governo do Estado tem adotado medidas que ajudarão a reduzir, no futuro, o número de casos de câncer de colo uterino. Entre elas, está a vacinação contra o HPV (Papiloma Vírus Humano), responsável por quase que a totalidade de casos da doença. A imunização ocorre na idade escolar e já abrange, no Estado, meninos e meninas.
Além disso, o rastreio de lesões precursoras, que se tratadas a tempo, podem evitar o desenvolvimento do câncer, foi iniciado, em 2017, através da campanha Outubro Rosa, que levou exames preventivos a municípios da Região Metropolitana de Manaus (RMM), como Manacapuru e Itacoatiara. “É uma forma de promover a interiorização da FCecon e, ao mesmo tempo, de facilitar o acesso da população a esses exames, que podem ajudar a prevenir o câncer e a salvar vidas”, explicou a diretora-presidente da FCecon, Ana Paula Lemes.
Na área científica, a FCecon tem desenvolvido, no âmbito da sua Diretoria de Ensino e Pesquisa, diversos estudos sobre a relação do HPV com os cânceres de colo uterino, pênis e de cabeça e pescoço. “Assim, teremos a chance de levantar o perfil do paciente da nossa região e atualizar nossos protocolos, tornando o tratamento mais eficaz”, salientou.