ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



FVS emite nota técnica sobre a vacinação e Susam imuniza profissionais de saúde contra sarampo

26/03/2018 15:24:45

A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), órgão da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), emitiu nota técnica, nesta quarta-feira (21/03), reforçando a importância da vacinação contra o sarampo, como medida de prevenção para o controle efetivo da doença. Entre as recomendações está a necessidade de imunização de crianças a partir de seis meses, que possam ter tido contato com pessoas com suspeita da doença e também de adultos acima de 50 anos. As duas faixas etárias não são incluídas na vacinação de rotina recomendada pelo Ministério da Saúde (MS).

 

De acordo com o último Boletim epidemiológico, 22 pessoas estão sendo tratadas com suspeita de sarampo em Manaus. Oito delas, crianças menores de um ano. O MS recomenda vacinação de rotina para crianças a partir de um ano. As vacinas estão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde, para o público em geral, e nos Centros de Atenção Integral à Criança (CAICs) apenas para o público infantil.

 

Também por recomendação da FVS, a Susam está vacinando equipes das suas unidades de saúde, que estão vulneráveis ao vírus e que não tenham comprovação vacinal.

 

Reforço no estoque - De acordo com o secretário estadual de Saúde, Francisco Deodato, o Amazonas solicitou reforço no estoque de vacina MS, que entre fevereiro e março já enviou mais de 186 mil doses ao Estado.  “À medida que começaram a surgir os primeiros casos suspeitos da doença em Roraima, contatamos o Ministério da Saúde para aumentar o nosso estoque vacinal e distribuir a todos os municípios”, afirmou.

 

A nota técnica da FVS reforça que, para aqueles que não têm contato com casos suspeitos da doença, será mantida a faixa etária da vacinação de rotina, disponível em toda a rede básica de saúde: primeira dose aos 12 meses, com vacina tríplice viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola), e segunda aos 15, com vacina tetra-viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola e Varicela). Já as crianças menores de cinco anos com atraso vacinal e pessoas com até 29 anos, não imunizadas, deverão receber a primeira e a segunda dose da vacina com um intervalo de 30 dias entre elas.

 

Para as pessoas na faixa de 30 e 49 anos que não têm comprovação de vacina recomenda-se dose única da Tríplice Viral. “As unidades de saúde do Estado estão abastecidas com insumo e a população precisa se conscientizar para a importância da imunização”, explicou o diretor-presidente da FVS-AM, Bernardino Albuquerque.

 

Bloqueio vacinal - A Nota Técnica da FVS prevê, ainda, bloqueio vacinal em todos os locais que as pessoas com caso suspeito da doença frequentaram, nos 10 dias anteriores aos sintomas, incluindo creches, escolas, núcleo familiar, igrejas, faculdade, empresa, entre outros. As pessoas que possam ter tido contato com casos suspeitos deverão ser imunizadas, incluindo crianças com idade a partir de seis meses e adultos com mais de 50 anos – público que não faz parte da faixa etária padrão preconizada pelo MS para a vacinação de rotina.

 

Bernardino Albuquerque destaca que a estratégia de bloqueio vacinal utilizada com o público que entrou em contato com um suspeito de sarampo deve ser feito de imediato. “Nesse caso, a restrição de idade é alterada, e só não serão vacinados aqueles que comprovarem já ter a vacina durante a varredura epidemiológica”, salientou.

 

Imunização para profissionais de saúde - Mais de seis mil profissionais de saúde serão vacinados contra o sarampo nas unidades de saúde gerenciadas pela Susam. O mutirão teve início com as equipes dos Centros de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAICs), unidades com maior fluxo de crianças, na Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), que é referência para tratamento da doença no Amazonas, e no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) da Zona Norte, onde foram registrados os primeiros casos suspeitos.

 

Nesta quarta-feira (21/03), foi iniciada a vacinação nos HPS João Lúcio, Platão Araújo e 28 de Agosto, além dos prontos-socorros infantis da Zona Leste, Zona Oeste e Zona Sul. Na próxima semana, os trabalhos serão feitos nos Serviços de Pronto-Atendimento (SPAs) e Maternidades.

 

Casos suspeitos - De acordo com o último boletim epidemiológico, na terça-feira (20/03), há 22 casos notificados como suspeitos de sarampo em Manaus, sendo 12 mulheres e 10 homens. Os dois primeiros foram registrados em fevereiro, e outros 20 em março. Oito são menores de um ano (abaixo da faixa etária preconizada para vacinação); 10 possuem idade entre um a cinco anos; e quatro são da faixa etária de 19 a 45 anos.

 

Quanto à localidade, 17 pessoas com suspeita da doença residem no Distrito de Saúde Norte, duas nos Distritos Oeste e Sul, e uma no Distrito Leste.