ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



Alunos da rede municipal recebem informações sobre os malefícios do tabagismo

28/05/2018 17:06:36

No dia 31 de maio, comemora-se o Dia Mundial sem Tabaco, data instituída para alertar a população sobre os malefícios do cigarro, que causa milhões de mortes, todos os anos. Em alusão à data, a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (Susam), e a Escola Municipal Dr. Geraldo Pinheiro, realizaram uma atividade recreativa conjunta, envolvendo cerca de 200 pessoas, entre alunos, professores e profissionais da unidade hospitalar, além de representantes de entidades de classe. O evento ocorreu nesta segunda-feira, 28, na sede da instituição de ensino, na avenida Tefé, Japiim, zona Sul de Manaus.

 

A ação teve início às 8h30 e incluiu gincana, distribuição de brindes e premiação do concurso de melhores desenhos sobre o tema, todos produzidos por estudantes da instituição de ensino. Também participaram da atividade o presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), seccional Amazonas, dr. João Marcos Barbosa, e representantes da Divisão Distrital Zona Sul (DDZS).

 

Durante a atividade, profissionais do Departamento de Prevenção e Controle do Câncer (DPCC) da FCecon, foram homenageados pela escola, que lançou um calendário com imagens ilustrativas, feitas pelos alunos, após palestras desenvolvidas pela Fundação, ao longo do ano, na instituição de ensino, falando sobre os malefícios do cigarro.

 

A coordenadora estadual da Atenção Oncológica, enfermeira Marília Muniz, destaca que o cigarro é um dos principais fatores de risco do câncer na atualidade e seu consumo está relacionado ao desenvolvimento de neoplasias malignas nos aparelhos respiratório, digestivo e urinário, além das de mama.

 

“Em nossas atividades, procuramos sempre alertar sobre a importância de se abandonar esse mau hábito que, além do câncer, também pode causar doenças cardiovasculares severas, levando à morte. Acreditamos que o processo educativo e de orientação deve ser iniciado ainda na fase escolar, para que as crianças e os adolescentes de hoje, não se tornem dependentes no futuro”, explicou.

 

O tema também foi abordado durante a cerimônia de abertura da atividade, levando informação de qualidade aos participantes do evento. “Estamos satisfeitos, porque a FCecon continua cumprindo sua missão, que é educar sobre os fatores de risco do câncer, entre esses, o tabagismo, que é o principal vilão e está relacionado a diversos tipos da doença”, frisou Marília Muniz.

 

Data pontual

 

O Dia Mundial Sem Tabaco foi criado em 1987, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), para alertar sobre as doenças e mortes que podem ser evitadas com o abandono do tabagismo. No Brasil, a data é destacada por instituições como o Instituto Nacional do Câncer (Inca) – subordinado ao Ministério da Saúde -, em parceria com Governos Estaduais e Prefeituras. Em 2018, o tema escolhido pela OMS é: Tabaco e doença cardíaca.

 

O coordenador estadual do Programa de Controle do Tabagismo no Amazonas, cardiologista Aristóteles Comte Alencar, reforça que o consumo de cigarro é considerado uma epidemia global, que mata sete milhões de pessoas ao ano, sendo 900 mil fumantes passivos. Quase 80% dos mais de 1 bilhão de fumantes no mundo vivem em países de baixa e média renda, onde o peso das doenças relacionadas ao tabagismo é maior.

De acordo com Aristóteles Alencar, os acidentes vasculares cerebrais (AVCs), infartos, transtornos mentais e diversas doenças crônicas, têm relação direta com o tabagismo. “Hoje, sabemos que o tabagismo é uma doença epidêmica, pois causa dependência física e psicológica, em função da nicotina”.

 

São mais de 4,7 mil substâncias químicas tóxicas em um único cigarro, incluindo o monóxido de carbono, amônia, entre outras. “Também encontramos na composição, diversas substâncias cancerígenas, a exemplo do arsênio, níquel, benzopireno, cádmio e chumbo. Ou seja: quanto mais cedo se abandona a dependência, menos exposto a essas substâncias o indivíduo ficará e menos chances terá de desenvolver diversas doenças ao longo da vida”, frisou o especialista.

 

Mortes

 

A OMS aponta que cerca de 12% das mortes por doenças cardíacas são associadas ao fumo, que hoje é a segunda causa de doenças cardiovasculares, só perdendo para a hipertensão arterial. “É importante frisar que o cigarro causa, ainda, o aumento dos triglicerídeos (um tipo de gordura no sangue), reduz a quantidade do "bom" colesterol (HDL), ajuda a bloquear o fluxo sanguíneo. Danifica as células que revestem os vasos sanguíneos e aumenta significativamente o acúmulo de placas de gordura, além de causar o estreitamento dos vasos sanguíneos, o que contribui, por exemplo, para os infartos”, alertou Aristóteles.