ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



Susam amplia de 32 para 40 o número de leitos de UTI no HPS 28 de Agosto

04/06/2018 08:39:46

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) ampliou de 32 para 40 a quantidade de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, na zona centro-sul de Manaus.
Os oito leitos de UTI que passam a integrar o complexo do hospital foram entregues essa semana. A atual administração, que assumiu em outubro de 2017, encontrou-os desativados. A falta de equipamentos essenciais para o funcionamento de UTI, como monitores cardíacos, respiradores, oxímetros de pulso e até camas hospitalares que precisavam de reparos, provocaram o bloqueio desses leitos. A nova gestão providenciou os equipamentos, dentre os quais, dez monitores cardíacos e dez respiradores, além de adequar os leitos às normas e padronização do Ministério da Saúde.
De acordo com o secretário estadual de Saúde, Francisco Deodato, a ampliação de leitos está entre as medidas que vêm sendo adotadas para reorganizar a rede pública de saúde e melhorar a capacidade de atendimento das unidades. “Quando assumimos, encontramos quase todas as unidades sem utilizar sua capacidade plena de serviços, devido a vários problemas estruturais, algumas precisando de manutenção em equipamentos, outras de reformas e manutenção corretiva. Elaboramos um planejamento para que essas correções fossem feitas, sem prejudicar a rotina dessas unidades”, disse o secretário.
Segundo Deodato, já como resultado das ações, no primeiro semestre deste ano, a Susam abriu 256 leitos de internação e 43 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e Unidade de Cuidados Intermediários (UCI), na rede estadual de saúde.
A diretora do 28 de Agosto, Claudia Teixeira, explica que a recuperação dos leitos de UTI é muito significativa para o hospital, que é o maior do Estado, atendendo, em média, 1.300 pacientes por dia, sendo também referência para todo o Amazonas. “Nossa demanda diária é intensa e ter mais leitos de UTI aumenta nossas possibilidades de salvar vidas, oferecer um atendimento mais adequado, sem contar o aumento da rotatividade na sala de emergência”, destacou a diretora.