ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



FCecon promove conscientização sobre o câncer em ação no Centro de Convivência Padre Pedro Vignola

09/05/2019 17:07:50

A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Saúde (Susam), irá promover a conscientização sobre o câncer em uma ação no Centro Estadual de Convivência da Família Padre Pedro Vignola, no bairro Cidade Nova, na zona norte. A iniciativa faz parte do projeto “Saúde na Rua”, promovido pela Rede Amazônica, e acontece neste sábado, (11/5), das 8h ao meio-dia.

 

Durante a ação, a equipe do Departamento de Prevenção e Controle do Câncer (DPCC) distribuirá panfletos e levará informações à população sobre a importância do autoexame para a detecção do câncer de mama, do Papanicolau – exame preventivo do diagnóstico das lesões pré-cancerosas de colo uterino – e da vacinação de meninos e meninas contra o Papilomavírus humano (HPV).

 

Conforme o diretor-presidente da FCecon, mastologista Gérson Mourão, a unidade hospitalar participa do “Saúde de Rua” desde sua primeira edição. Para ele, o projeto é uma oportunidade para sensibilizar a sociedade sobre os fatores de risco externos que podem contribuir para o desenvolvimento do câncer, uma vez que o local terá um fluxo grande de pessoas.

 

A coordenadora estadual de Atenção Oncológica, enfermeira Marília Muniz, lamentou que o Amazonas ainda faça parte do ranking de câncer de colo uterino. Ela informa que o Instituto Nacional de Câncer (Inca), no biênio 2018/2019, estima para o Amazonas cerca de 840 casos novos de câncer de colo uterino, uma taxa bruta de 40,97 a cada 100 mil mulheres. Desses casos novos do estado, cerca de 640 serão mulheres residentes em Manaus.

 

“Os números de câncer de colo uterino ainda são elevados, apesar de todas as estratégias de prevenção e controle de câncer promovidas. As ações são feitas em parceria com as secretarias de saúde dos municípios e da Prefeitura de Manaus. Atitudes simples, como o uso de preservativo durante a relação sexual, a higiene pessoal, a realização de exames preventivos, o acesso a informação e a vacinação contra o HPV podem mudar o cenário”, frisou Muniz.

 

Capacitação – De acordo com Muniz, a Coordenação Estadual de Atenção Oncológica e as prefeituras têm promovido a capacitação de equipes de saúde do interior do Estado. Ela salientou que a grande maioria das secretarias municipais já contam com unidades básicas de saúde fluviais para atender as comunidades ribeirinhas.

 

“As ações implementadas são exemplos de que estamos organizando a rede de saúde em seus três níveis – primário, secundário e terciário. Temos um projeto aprovado pelo Ministério da Saúde para a realização de exames de colposcopia e biópsias nos municípios, cujo objetivo é detectar as lesões de baixo e alto grau causadas pelo HPV e, assim, evitar que as mulheres morram na fase mais produtiva de suas vidas. O câncer de colo uterino é uma doença evitável”, pontuou.

 

 

FOTO: Divulgação/FCecon