ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



Susam cria Sala de Situação para integrar sistemas de informação das unidades

27/05/2019 09:19:16

Um dos maiores entraves da Saúde no Amazonas está próximo da solução – a falta de integração entre os sistemas de informação das unidades com a Secretaria de Estado de Saúde (Susam). A secretaria está em vias de lançamento da sua primeira Sala de Situação, uma espécie de “BIG Data da Saúde”, para integrar as informações produzidas em hospitais, prontos-socorros e demais unidades da capital e interior e ajudar no planejamento de ações e nas tomadas de decisão da nova gestão.

A Sala de Situação visa, ainda, proporcionar planejamento e controle em todas as áreas - abastecimento de insumos e medicamentos, contratos com fornecedores e prestadores de serviços, quadro de pessoal e até a disponibilização, em rede, do prontuário eletrônico do paciente, uma demanda antiga do setor nunca antes implementada.

Segundo o secretário Estadual de Saúde, Rodrigo Tobias, a solução, que está sendo construída pelo Departamento de Tecnologia da Informação (Detin), da Susam, será um divisor de águas, na medida em que vai permitir que, pela primeira vez, se possa ter uma visão geral, integrada e sistematizada do que acontece na saúde.

“A Sala de Situação vai nos dar a visão geral de tudo o que estamos fazendo, como a informação dos pacientes atendidos e a produção nas unidades, a gestão dos serviços em relação a receitas, despesas, tudo integrado e disponibilizado em tempo real”, comemora o secretário”.

Para Tobias, que assumiu há pouco mais de um mês, a falta de sistematização e integração dos sistemas de informação, que não “conversam” entre si, é um entrave para o projeto de reestruturação da Susam que vem sendo realizado pela nova gestão. “Em plena era da informática, da indústria 4.0, o atual governo encontrou a Susam com seus setores e unidades funcionando como se fossem ilhas, cada um com seus sistemas. As informações, quando precisamos, são disponibilizadas em planilhas de Excel. Para quem precisa entender o presente e planejar o futuro, temos um grande entrave. Por isso, estamos priorizando a modernização dos nossos sistemas de informação e de gestão”.

O diretor do Detin, Francisco Arce, que junto com sua equipe está customizando a solução que vai permitir a integração de sistemas de informação, afirma que a Sala de Situação está sendo preparada para integrar não apenas os dados das unidades da capital, como também do interior.

Na capital, serão integrados os sistemas de gestão de saúde das unidades que hoje são diferentes e não conversam. Atualmente, são dois tipos de sistemas que trabalham com gestão hospitalar em atividade: um é  do fornecedor da  AGFA, sistema que funciona nos maiores prontos-socorros - HPS 28 de Agosto, HPS João Lúcio Machado, HPS Platão Araújo – além do Francisca Mendes e do Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Oeste e o outro do Fornecedor da TECHNE,  que funciona em outras 28 unidades. As demais  serão implementadas segundo o planejamento interno.

A Sala de Situação da Saúde também vai conversar com a solução que está em fase de implantação nas unidades básicas do interior para implantação do prontuário eletrônico da atenção primária, uma parceria entre os municípios com o Ministério da Saúde e o Estado, via Departamento de Atenção Básica (Dabe) da Susam.    No mês de abril, foi implantado o centralizador na Susam, um servidor que recebe as informações dos municípios para serem repassadas ao Ministério da Saúde. Na ocasião, 35 municípios já estavam cadastrados prontos para transmitir seus prontuários eletrônicos.

Visão Global – Conforme Francisco Arce, as Salas de Situação trabalham o conceito conhecido como overview, ou visão global, que é o melhor caminho para planejamento e tomadas de decisão para corrigir falhas e apontar soluções. “ A ideia de criar um Big Data na Susam segue a lógica de que quanto mais informações tivermos, poderemos trabalhar melhor as estratégias de saúde, tomar melhores decisões em prol dos usuários dos serviços”, diz o diretor do Detin.

Outra vantagem, segundo ele, está nos custos. A equipe que está trabalhando na implantação da Sala de Situação é formada por servidores da casa e foi buscar as soluções na internet, nos chamados open source, (software de código aberto desenvolvidos de maneira colaborativa e disponibilizados na rede, sem fins lucrativos).

Upgrade em um ano – Por enquanto, a solução é caseira e, segundo Francisco Arce, a Sala de Situação vai preparar a base para a implantação da solução definitiva que se completará com a implantação do Sistema de Gestão Hospitalar e Ambulatorial do SUS (GSUS), desenvolvido pela Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar). O Governo do Amazonas, por meio do vice-governador, Carlos Almeida, startou as conversas com a estatal paranaense, no inicio do ano, quando Carlos Almeida era secretário da pasta da Saúde.

“O GSUS vai facilitar o gerenciamento dos serviços, melhorar o atendimento aos usuários e otimizar recursos”, destaca Carlos Almeida.

De acordo com o diretor do Detin, o GSUS é uma solução  com base de dados única para todo setor da saúde. “Estamos preparando o terreno para receber o sistema completo. Quando o novo sistema for implantado, tudo o que já fizemos irá migrar para a nova base”, explica.

Mais informações: Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Saúde (Susam): Roseane Mota e Lúcio Pinheiro (98407-1699). E-mail: comunicacao@saude.am.gov.br