ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



Regula+Brasil é lançado oficialmente no Amazonas

31/05/2019 14:47:54

O projeto Regula+Brasil, que tem a finalidade de fortalecer o atendimento de saúde na Atenção Básica e reduzir o tempo de espera na Atenção Especializada, foi lançado oficialmente nesta sexta-feira (31/05) no Amazonas, na Universidade do Estado do Amazonas (UEA). O projeto é executado no estado pela equipe do Hospital Sírio Libanês (HSL), em parceria com o Governo do Estado, Prefeitura de Manaus e secretarias municipais de saúde.

 

Segundo o governador em exercício, Carlos Almeida Filho, o Regula + Brasil chega para aperfeiçoar o Sistema de Regulação (Sisreg), no sentido de qualificar melhor o atendimento ao usuário dentro do serviço público de saúde, fazendo o encaminhamento correto na hora de resolver seu problema de saúde.

 

“O que chamou a atenção foi a possibilidade da redução das filas na rede de saúde, que cresceram muito nos últimos anos e atualmente acumulam aproximadamente 100 mil pedidos”, disse Carlos Almeida, que articulou a vinda do projeto para o Estado, quando esteve à frente da Secretaria de Estado de Saúde (Susam).

 

“Era minha responsabilidade buscar, entre os especialistas, o benchmarking necessário para a compreensão de soluções que já se encontram em andamento”, disse.

 

O Regula + Brasil integra o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS) do Ministério da Saúde (MS), e atua como um ente regulador entre o atendimento na atenção básica e o encaminhamento para a média e alta complexidade. No estado estão sendo reguladas as filas de Cardiologia, Endocrinologia, Gastroenterologia, Ortopedia, Proctologia e Urologia.

 

Para o titular da Susam, Rodrigo Tobias, é uma oportunidade de ofertar os serviços para a população de maneira mais eficaz. “É um momento muito importante, porque a gente vai incluir mais uma peça de política pública a favor da população do Amazonas”, ressaltou.

 

O secretário municipal de saúde da capital (Semsa), Marcelo Magaldi, destacou o fortalecimento da atenção primária com o auxílio da equipe do HSL reduzindo as filas e qualificando o encaminhamento.

 

“Os nossos médicos, que estão atendendo na atenção básica, fazendo a prevenção, vão poder, por meio da Telemedicina, fazer uma teleconsulta. Vão poder consultar diretamente, em casos de dúvida, o especialista no HSL, que vai discutir com o médico e fazer o encaminhamento correto. Vão poder esgotar o que for possível todo o tratamento na própria atenção básica. Portanto, é um ganho muito grande para a atenção básica em Manaus”, disse.

 

O diretor do HSL, Paulo Chapchap, enfatizou que a equipe da unidade vai contribuir para a regulação que já existe no estado e que o sistema de telessaúde vai ser uma vantagem do Amazonas em relação aos outros estados.

 

“O sistema, a tecnologia de conexão está muito desenvolvida no estado, o que talvez seja um exemplo para o Brasil. Sessenta e dois centros nos diversos municípios estão conectados via satélite, com dados e voz, com a central de regulação aqui de Manaus, e existe uma grande integração entre a área municipal e estadual. Então, nós encontramos aqui um território ideal para essa a contribuição”, explicou.

 

Como funciona – O fluxo do atendimento inicia quando um paciente é consultado na Unidade Básica de Saúde (UBS) e o médico decide pelo encaminhamento via Sistema de Regulação (Sisreg). Nesta fase, os médicos consultores do Regula+Brasil avaliam o pedido e aprovam para a marcação de consulta com a prioridade, conforme o protocolo do MS, ou devolvem o pedido para a UBS a fim de obter mais informações acerca do quadro de saúde do paciente.

 

Por sua vez, o médico da UBS, ao receber o pedido de informação, pode complementar no Sisreg ou entrar em contato com os médicos do HSL por meio do telefone, WhatsApp ou teleconsultoria.

 

“No fundo, esse projeto possibilita que a gente comece a tratar antes os pacientes; retira o isolamento daquele médico da UBS e o coloca na possibilidade de discutir com um médico do corpo clínico do Sírio Libanês das diversas especialidades; prioriza os pacientes mais graves para que sejam acessados pelos especialistas do Amazonas”, explicou o coordenador de Inovação e TI do HSL, Cesar Biseli.

 

FOTO: Claudio Heitor/Secom