ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



Profissionais da saúde são qualificados para ampliar qualidade e rapidez no teste do pezinho

29/07/2019 17:10:14

Ampliar o acesso ao teste do pezinho e a descentralização desse exame para todo o Estado tem sido a estratégia da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) ao qualificar toda uma rede de profissionais que atua nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), Centros de Atenção Integrada à Criança (Caic) e maternidades espalhadas pelos 62 municípios amazonenses.

 

“É muito importante que esses profissionais sejam qualificados pra realizar a coleta de forma correta, porque o tempo vale ouro, esse resultado tem que ser feito precocemente porque essas doenças precisam ser tratadas e acompanhadas adequadamente, desde os primeiros dias de vida da criança”, ressaltou Cleomirtes Sales, coordenadora da Triagem Neonatal da Susam, durante mais uma etapa de qualificação, iniciada nesta segunda-feira (29/07), na Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam).

 

O objetivo é aumentar o número de profissionais qualificados nas unidades de saúde para que a coleta de material seja descentralizada dentro dos municípios, facilitando o acesso das mães e dos recém-nascidos ao teste do pezinho.

 

O teste do pezinho é realizado em postos de coleta que funcionam em unidades de saúde de todo o Estado, tanto na capital, quanto no interior. Em seguida, as amostras são enviadas ao laboratório de Triagem Neonatal do Hemoam, que é referência na análise do teste do pezinho para toda a região Norte. “Para que o resultado seja preciso é necessário que haja uma padronização no procedimento da coleta”, comentou Lilian Wallace Moreira, bioquímica do laboratório especializado em triagem neonatal do Hemoam.

 

Os testes feitos na rede estadual cobrem 85% dos nascidos vivos no Amazonas. Em 2018 foram realizados 65.382 exames para identificar as doenças em nascidos vivos no Estado.

 

No dia 13 de agosto, Susam, Semsa e Ministério Público estadual devem assinar portaria conjunta que integra os sistemas das maternidades com as unidades de saúde da rede estadual e municipal que fazem o teste. O objetivo é que seja feita a cobertura de 100% dos bebês.

 

O novo sistema vai reunir informações como nome e data de nascimento do recém-nascido, além de e-mail e contato telefônico da mãe. As maternidades e unidades de referências serão cadastradas por zona geográfica para facilitar o acesso das famílias ao teste do pezinho na unidade mais próxima da residência.

 

FOTO: KAROL MAIA