ACESSIBILIDADE

SUSAM

Secretaria de Estado de Saúde



Em menos de 24 horas, Amazonas identificou, testou e descartou o diagnóstico para Covid-19

02/03/2020 09:11:30

Em menos de 24 horas, o Amazonas identificou, testou e descartou o diagnóstico para Covid-19 (novo coronavírus) em uma paciente de 39 anos, que está internada na rede particular de Manaus. Este é o primeiro caso investigado no Estado.

 

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Saúde (Susam), foi notificada do caso suspeito pelo hospital na noite de sexta-feira (28/02), por volta das 18h.

 

Neste sábado, às 14h, após três testes laboratoriais, a paciente testou positivo para Vírus Sincicial Respiratório (VRS), o que descarta a possibilidade de diagnóstico para Covid-19.

 

Em coletiva, na sede da FVS, em Manaus, o secretário de Estado de Saúde, Rodrigo Tobias, destacou o trabalho em rede entre a vigilância estadual, municipal e a unidade particular.

 

“De forma rápida e integrada, as vigilâncias do Estado e do Munícipio de Manaus realizaram a investigação epidemiológica, a paciente atendia todos os critérios como casos suspeitos, e desse modo o Laboratório de Saúde Pública, da FVS, realizou a coleta de amostras biológicas da paciente e o resultado divulgado hoje é que foi positivo para Vírus Sincicial Respiratório, portanto, a notificação foi descartada”, informou Rodrigo Tobias.

 

Segundo a diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, o trabalho demonstra que tanto a rede de assistência pública e quanto a privada estão sensíveis à vigilância.

 

“Desde de janeiro a FVS, em conjunto com a Fundação Tropical, vem realizando capacitação para os profissionais de saúde, voltado para SRAG, e com a mudança do cenário epidemiológico do Covid-19, vem reforçando as atualizações de acordo com o preconizado pelo Ministério da Saúde (MS)”, declarou Rosemary.

 

O secretário municipal de Saúde de Manaus, Marcelo Magaldi, que também participou da coletiva, ressaltou a importância das medidas de prevenção para o Covid-19, que servem para proteção contra todos vírus, e pediu que a população se sensibilize com relação às orientações divulgadas pelos órgãos de saúde.


“O serviço de saúde está bem alinhado para enfrentar e minimizar o impacto, e, deste modo, reforçamos que pessoas com febre, tosse, dificuldade para respirar, procurem uma unidade de saúde antes de agravar”, declarou o secretário municipal de Saúde.

 

Definição de caso suspeito - A paciente de 39 anos entrou para a classificação de suspeita porque atendia a um dos três critérios de definição de caso para o Coronavírus, que foi estabelecido pelo Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

De acordo com a diretora-presidente da FVS, a paciente teve febre associada a sintomas respiratórios, como tosse e dificuldade para respirar, após ter viajado para a Itália, que é uma área com transmissão local, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.

 

 

São considerados casos suspeitos de infecção pelo Covid-19:

 

Febre e pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) e histórico de viagem para área com transmissão local (países atualizados recentemente) nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; ou

 

Febre e pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) e histórico de contato próximo de caso suspeito para o Coronavírus (Covid-19), nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; ou

 

Febre ou pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) e contato próximo de caso confirmado de Coronavírus (Covid-19) em laboratório, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.

 

Monitorados - As autoridades de saúde do Amazonas reforçaram na coletiva que não há casos suspeitos ou confirmados do Covid-19 no estado. No momento, o órgão monitora duas pessoas, residentes em Manaus, que estavam no voo do paciente “zero”, mas até agora elas não apresentam sintomas.

 

Seguindo as diretrizes da OMS e do Ministério da Saúde, o monitoramento deve durar de 14 a 20 dias e está sendo realizado pela Vigilância Epidemiológica da FVS-AM, em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).



“Nós estamos acompanhando a situação de saúde deles, se eles desenvolvem algum tipo de sintoma e na eventualidade de desenvolverem os sintomas, essas pessoas vão ter coletadas amostras laboratoriais que vão ser examinadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública, o Lacen da FVS, para o descarte dos outros vírus respiratórios. Descartando algum desses vírus, e permanecendo a pessoa com sintomas, essas amostras serão encaminhadas para o laboratório do Instituto Evandro Chagas, onde serão feitas análises específicas para o novo Coronavírus”, explicou a diretora-presidente da FVS.



O controle no Aeroporto Internacional de Manaus também foi reforçado, em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Nós temos no aeroporto um plantão da Anvisa de dois profissionais, em plantões de 24 horas. Então esses profissionais estão acompanhando a chegada, principalmente dos voos internacionais e, sendo detectado algum paciente sintomático, é acionado todo o fluxo de atendimento e referência desse paciente e esse paciente vai passar por uma avaliação médica”, explicou Rosemary.



Atuação conjunta - O Governo do Amazonas vem se preparando desde novembro 2019 e intensificando as ações em função das Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAGs), que costumam aumentar no período de chuva. Com esse objetivo foi criado o Comitê Insterinstitucional, que reúne representantes de diversos órgãos do sistema de saúde e parceiros das esferas federal, estadual e municipal.



Cuidados no dia a dia – A transmissão do coronavírus, como a de qualquer síndrome gripal, costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva; espirro; tosse; catarro; contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão; contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.



Atualização de SRAG - A FVS-AM divulgou, na quinta-feira (27/02), a 8ª edição do Boletim Epidemiológico da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Estado do Amazonas, que corresponde à análise de notificação de novembro de 2019 até o dia 25 de fevereiro de 2020.

 

Segundo o boletim, foram notificados, até o momento, 216 casos de SRAG, sendo 188 apenas na capital amazonense. Destes, foram confirmados 44 casos por vírus respiratórios, sendo identificados 17 casos provocados por Adenovírus, 15 casos de Influenza B, cinco para Vírus Sincicial Respiratório (VRS), três por Influenza A (H1N1), dois para Metapneumovírus e dois para Parainfluenza 1.

 

Nessa edição, a FVS informa que no total foram registrados, a partir de novembro, 29 óbitos por SRAG. Desses, nove foram por vírus respiratórios e 20 por outras síndromes respiratórias não virais. Dos nove óbitos, já mencionados no último boletim, todos são residentes de Manaus, 4 Adenovírus, 3 por Influenza B, 1 Vírus Sincicial Respiratório (VRS) e 1 Metapenumovírus.